quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Sócrates, o inventor

Uma “invenção de memória”, feita por José Sócrates acerca de Eusébio, merece destaque de primeira página na edição de hoje do Correio da Manhã.

Se na página principal invoca “um lapso” do anterior primeiro-ministro sobre um jogo Portugal - Coreia, do Campeonato do Mundo de Futebol de 1966, no interior da edição o CM alude a mentira do ex-governante.

O matutino lisboeta conta que Sócrates disse, na RTP, ter festejado na escola o (in)esperado triunfo da Selecção das Quinas frente à congénere coreana; inesperado por Portugal haver estado a perder por 3 - 0 e ter acabado por marcar cinco golos. Acontece que o jogo foi disputado a um sábado (23 de Julho) e a escola do menino José Carvalho Pinto de Sousa estava fechada.

Contactado pelo CM, o ex-governante desligou o telemóvel e não respondeu às mensagens, assinala o Jornal, vincando que “a narrativa de José Sócrates choca com a realidade”.

Sem demérito para o CM, já se sabia que a narrativa de Sócrates colidiu com a realidade. Que o digam, por exemplo, o magistrado do Ministério Público João Marques Vidal e o inspector da Polícia Judiciária Teófílo Santiago, que tanto se empenharam na investigação inerente ao processo “Face oculta”.



Sem comentários:

Publicar um comentário