quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

As americanas são umas meninas e o tinto dá cabo dos neurónios

[Imagem retirada do sítio http://www.cafeportugal.net]

Um estudo, hoje publicado na revista Neurology, da Academia Americana de Neurologia, revela que homens de meia-idade que ingerem mais de duas bebidas alcoólicas por dia podem sofrer uma perda acelerada da memória. Até aqui, nada de verdadeiramente extraordinário.

Contudo, leitura mais atenta do artigo, refere que para levar a cabo esta experiência foram entrevistados mais de 5 000 homens, três vezes, ao longo de 10 anos. Comprovou-se que os dois copitos de tinto – ou outra bebida de preferência; nós é que temos predilecção pelo tinto – afectavam a memória e a função cerebral. Até aqui, mais uma vez, nada de verdadeiramente extraordinário.

E, agora, a aguardada “pièce de résistance”. O estudo incluiu 2 000 mulheres mas nada se concluiu quanto ao sexo feminino. Porque... não havia suficientes consumidoras de álcool em excesso para permitir analisar a sua decadência mental em comparação com as consumidoras moderadas ou abstémias. Como é isto possível? Trata-se, claramente, de um erro geográfico.

Já saíram à noite em Coimbra ou em qualquer outra cidade portuguesa? Recomendamos aos autores deste estudo que o façam. É que aqui encontram mulheres de barba rija, que bebem tanto ou mais do que os homens. 

Atenção, não estamos a dizer que isso seja, necessariamente, uma coisa boa. Afinal, já é mau o suficiente termos de aturar a bebedeira do nosso melhor amigo, a esposa aos berros quando chegamos a casa com o grão na asa e a ressaca que nos espera na manhã seguinte...

Sem comentários:

Publicar um comentário