quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Pires aflige Coelho

A hipotética candidatura (independente) de Norberto Pires à presidência da Câmara Municipal de Coimbra (vide a anterior edição do “Campeão”) está a afligir o líder do PSD, Pedro Passos Coelho.Sem «atar» nem «desatar» em matéria de indigitação dos candidatos à liderança dos 18 municípios cujas sedes correspondem a capitais de distritos, Passos Coelho recomendou a dirigentes do seu partido que intervenham no sentido de demover Norberto Pires da inclinação de se perfilar para potencial sucessor de Manuel Machado (PS).
Possuidor de assinalável currículo (professor universitário, vereador em Condeixa-a-Nova, eleito pelo PSD, ex-líder da sociedade Coimbra i Parque e outrora timoneiro da CCDRC - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro), Pires, caso se perfile para a principal cadeira da praça de 08 de Maio, faz diminuir as hipóteses de o PSD reconquistar a presidência da Câmara conimbricense.
Se forem ousados quanto baste, os dirigentes partidários destinatários do «recado» de Coelho não tardarão a dizer-lhe que quanto mais se prolongar a indecisão acerca da escolha do candidato social-democrata maior é a probabilidade de Norberto Pires se assumir como potencial sucessor de Manuel Machado.
Embora não goste de ouvir falar de Norberto Pires, desde que ele irritou alguns membros do XIX Governo quando presidia à CCDRC, Passos Coelho arrisca-se a ter de vir a escutar o nome do professor universitário.
É da vida, remata o redactor das Vinagretas, parafraseando António Guterres, que deixou a liderança do PS e a chefia do XIV Governo devido ao desfecho das eleições autárquicas de 2001.




Sem comentários:

Publicar um comentário