sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Quem disse que o Entrudo não é tradicional?

Com o abrasileiramento do Carnaval português - quando foram os lusos a levá-lo para lá do Atlântico - muitos até se esquecem que esta também é uma tradição nossa.
A prová-lo está o Entrudo das Aldeias do Xisto, que numa organização conjunta da Câmara Municipal da Lousã com a Lousitânea, está patente numa exposição etnográfica no Museu Etnográfico de Dr. Louzã Henriques, até 21 de Fevereiro.
É uma mostra que pretende dar a conhecer como foi e é o entrudo tradicional serrano, fazendo uso das máscaras, trajes e adornos usados pelos foliões.
As máscaras expostas são em cortiça, extraída dos sobreiros da Serra da Lousã, ou reaproveitada dos velhos cortiços das abelhas, representando figuras medonhas e diabólicas.
Algumas possuem adornos jocosos como cornos de cabra, barbas de milho, lã de ovelha, dentes de javali, cabaças e ainda algumas pinturas discretas.
A exposição integra, ainda, um conjunto de trajes com farrapos, lenços, xailes, chocalhos à cintura, campainhas, bengalas, cajados, um velho guarda-chuva e velhos funis de metal, provando que existe tradição.




Sem comentários:

Publicar um comentário